4 Fatos Curiosos sobre a Páscoa

Por que o coelho da Páscoa põe ovos? Os judeus também comemoram a data? Aqui vamos explicar essas e outras curiosidades

Compartilhar
Pintura com Três Cruzes
A Páscoa marca a ressurreição de Cristo após a crucificação. Imagem: Pixabay/Reprodução.

Você gosta da época da Páscoa? O período é sinônimo de celebração e marca a ressurreição de Jesus, porém há muito mais detalhes sobre a festa que você nem faz ideia. Duvida? Então, acompanhe este artigo porque selecionamos quatro fatos curiosos relacionados ao assunto. Boa leitura!

1. A festa tem origem judaica

Reunião para Culto Judaico
Imagem: Pixabay/Reprodução.


Pode parecer estranho que a festa em comemoração à ressurreição de Cristo tenha relação com o povo judeu, porém a explicação é bem simples. A Páscoa surgiu, originalmente, com a Pessach, termo hebraico que significa “passagem”.

A nomenclatura marca o momento em que Moisés libertou os judeus da escravidão no Egito com a abertura do Mar Vermelho. Já para os cristãos, a passagem está ligada a Jesus, que depois de morrer retornou à vida.

Independentemente das diferenças religiosas, no início da era cristã, os fiéis das duas crenças comemoravam juntos o período. Até os rituais eram os mesmos. Exemplo disso é que todos comiam o matzá, pão sem fermento típico da tradição judaica.

2. A data da Páscoa é baseada no calendário lunar e solar

Lua Cheia à Noite
Imagem: Pixabay/Reprodução.


Você sabe que o dia em que a Páscoa é comemorada varia todos os anos, certo? Bem, o motivo disso remonta ao ano de 325 d.C. Nesse período, bispos da Igreja Católica queriam desvincular a celebração judaica da cristã e reuniram-se para fazer a alteração.

Eles usaram como base os calendários lunar e solar para definir a data. Em regras gerais, é preciso calcular o início das estações — primavera para quem está no hemisfério norte e outono para as pessoas do hemisfério sul — e, a partir daí, observar a chegada da Lua cheia.

A Páscoa ocorre no domingo seguinte aos acontecimentos citados. Por isso ela varia anualmente. E o Carnaval é comemorado sempre 47 dias antes disso.

3. Os ovos de Páscoa são influência de rituais pagãos

Ovos Coloridos
Imagem: Pixabay/Reprodução.


Povos chineses, ucranianos, egípcios, entre outros pintavam ovos e os davam de presente para as pessoas, comemorando a chegada da primavera no hemisfério norte. Isso era um símbolo de renovação da vida.

Quando a Igreja Católica instituiu oficialmente a época da Páscoa, ela determinou que não fosse permitido comer ovos durante a Semana Santa. Assim, as pessoas passaram a guardar o alimento, esvaziar seu conteúdo, colorir a casca e presentear as crianças. O que fez a tradição antiga renascer.

O hábito prosseguiu até o século XIX, quando a população começou a fazer ovos de papel e papelão e recheá-los com presentes. Paralelamente, também começavam a ser fabricados ovos de chocolate na França e na Alemanha. A partir de então, o costume ganhou força e permanece até hoje.

4. A figura do coelho deriva de uma lenda mitológica

Coelho, Flores e Ovos Coloridos
Imagem: Pixabay/Reprodução.


O famoso coelho de Páscoa não existia nas antigas tradições cristãs. A imagem do animal só entrou oficialmente na celebração a partir do século XIX, junto com a ideia dos ovos de chocolate. Contudo, a imagem da lebre já estava relacionada a celebrações muitos anos antes.

No Egito, o coelho é símbolo de renascimento. Na mitologia anglo-saxônica, nórdica e alemã, ele está associado à deusa da primavera, Eostre. De acordo com lendas, Eostre havia encontrado um pássaro ferido na neve e o transformou em lebre na tentativa de ajudá-lo.

Durante a mutação, o animal permaneceu com a capacidade de colocar ovos. Então, ele selecionou alguns destes, coloriu cada um e levou para a deusa como forma de agradecimento. Ela ficou tão feliz que distribuiu o presente com várias crianças. É daí que surgiu a ideia do coelho que dá ovos de Páscoa.


Como você percebeu, a tradicional festa cristã recebe uma série de influências que surgiram há milhares de anos. Isso inclui referências judaicas, mitológicas e de rituais não religiosos. Tudo isso foi sendo adaptado ao longo do tempo até os costumes que conhecemos atualmente.

E então, você já conhecia alguma das curiosidades que apresentamos aqui no artigo? Se quiser mais informações relacionadas ao período da Páscoa, leia nosso artigo sobre a Quaresma clicando aqui. Até mais!

Se você quer acompanhar outros conteúdos religiosos inscreva-se em nosso site.

Leia também:

Veja Também